Siga por Email

Marcadores

Encontre no blog. É só digitar

sexta-feira, 10 de fevereiro de 2012

EU LI: Boa Resposta

           
















            Boa Resposta:

            Um viajante foi atravessar um rio, numa canoa. Logo no começo da travessia, querendo divertir-se às custas do canoeiro, perguntou-lhe: “Sabe Geografia?”
— “Que nome esquisito! Não senhor; nunca andei na escola.”
— “Desgraçado” — exclamou o viajante — “você perdeu um quarto de sua vida. Tome nota.”

            Mais adiante o passageiro tornou a perguntar: “Sabe filosofia”? 
— “Cruz, credo! Nunca ouvi falar nesse ‘bicho’!”
— “Infeliz, você perdeu metade da vida! Tome nota”. 
— “Sim senhor”!

            Daí a pouco, caiu um pé-de-vento; a canoa não resistiu e, bumba, virou e largou canoeiro e viajante dentro d’água. Chegou a vez do caipira perguntar.

— “Desculpe a pergunta: Sabe nadar”? 
— “Não! Infelizmente nunca aprendi; acuda-me!”
— “Então, não me leve a mal; o senhor vai perder a vida inteira”. (Fonte: Internet) 

EU LI: Sua majestade... Quem?

               


















               Você me conhece?

            Sou o príncipe das alegrias e o mensageiro da morte. Estou presente em todas as cerimônias; nenhuma reunião festiva tem lugar sem minha presença. Suscito nos corações pensamentos abjetos e criminosos, induzindo homens e mulheres à imoralidade.

            Produzo adultério, sou o pai da corrupção e da desgraça; provoco a degeneração humana e introduzo a infidelidade nos lares. Por toda parte espalho envilecimento, depravação, loucura, crimes e suicídios.

            Destruo a família, a sociedade e a nação... Ocasiono contendas e provoco homicídios. Gero enfermidades, faço nascer crianças raquíticas, retardadas e idiotas. A jovens e velhos faço perder a vergonha, a dignidade, a honra, a educação, a religião e os haveres materiais.

            Ponho um véu sobre a consciência dos homens e lhes obscureço o entendimento, fazendo-os cometer delitos e crimes por satisfação, e baixezas por entretenimento.

            Consegui de tal maneira perverter a inteligência dos homens, que eles estragam a uva, os cereais, a cana-de-açúcar etc. para fabricarem-me, convertendo, assim, bênção em maldição.

            Minha pátria é a terra; meus escravos, os homens a quem me envia o diabo.

            Sou o melhor fornecedor de diferentes vítimas aos hospitais, e dos hospitais aos presídios e dos presídios ao inferno.

            Sou SUA MAJESTADE, O ÁLCOOL.

(Transcrito da revista Rotary Clube de Nova Iguaçu, N° 5, Distrito 457, Ano XV, de 11 de Novembro de 1974) 

EU LI: Mandioca


Mandioca em formato de mulher vira 

atração em quintal de casa em MT


Mandioca foi colhida em uma residência na cidade de Vila Rica.
O formato tem chamado a atenção dos moradores que visitam o local.



Mandioca foi colhida em quinta de residência (Foto: Rádio Eldorado FM/Rafel Trindade)Mandioca foi colhida em quintal de residência
(Foto: Rádio Eldorado FM/Rafel Trindade)

O eletricista João Oliveira da Silva, de 29 anos, afirmou ter ficado surpreendido ao colher uma mandioca um tanto quanto diferente no quintal de sua residência, na cidade de Vila Rica, a 1.276 quilômetros de Cuiabá. O que chamou atenção de João e de muitos moradores da cidade é que a raiz nasceu em um formato diferente que, segundo ele, se parece mais com o corpo de uma mulher. A colheita foi feita na última terça-feira (7).
(...)
O eletricista disse ainda que a mandioca virou a atração da região. De acordo com ele, muitos vizinhos, amigos e parentes estão indo até a sua na casa para ver o formato inusitado da mandioca. “Muitas pessoas estão vindo aqui em casa, até políticos e a polícia”, destacou.
Por conta do atrativo, João contou que não pretende comer a mandioca e que vai deixá-la como um objeto para visitação em sua casa. “Não é todo dia que achamos uma mandioca desse formato e eu não pretendo comê-la.Vou deixar para quem quiser ver e tirar foto”, pontuou. (Fonte: G1)

quinta-feira, 2 de fevereiro de 2012

EU LI: Felicidade realista



















FELICIDADE REALISTA
 (Mário Quintana)


A princípio, bastaria ter saúde, dinheiro e amor, o que já é um pacote louvável, mas nossos desejos são ainda mais complexos.

Não basta que a gente esteja sem febre: queremos, além de saúde, ser magérrimos, sarados, irresistíveis.

Dinheiro? Não basta termos para pagar o aluguel, a comida e o cinema: queremos a piscina olímpica e uma temporada num spa cinco estrelas.

E quanto ao amor? Ah, o amor... não basta termos alguém com quem podemos conversar, dividir uma pizza e fazer sexo de vez em quando. Isso é pensar pequeno: queremos AMOR, todinho maiúsculo. Queremos estar visceralmente apaixonados, queremos ser surpreendidos por declarações e presentes inesperados, queremos jantar à luz de velas de segunda a domingo, queremos sexo selvagem e diário, queremos ser felizes assim e não de outro jeito.

É o que dá ver tanta televisão.

Simplesmente esquecemos de tentar ser felizes de uma forma mais realista.

Ter um parceiro constante pode ou não ser sinônimo de felicidade. Você pode ser feliz solteiro, feliz com uns romances ocasionais, feliz com um parceiro, feliz sem nenhum. Não existe amor minúsculo, principalmente quando se trata de amor-próprio.

Dinheiro é uma benção. Quem tem, precisa aproveitá-lo, gastá-lo, usufruí-lo. Não perder tempo juntando, juntando, juntando. Apenas o suficiente para se sentir seguro, mas não aprisionado. E se a gente tem pouco, é com este pouco que vai tentar segurar a onda, buscando coisas que saiam de graça, como um pouco de humor, um pouco de fé e um pouco de criatividade.

Ser feliz de uma forma realista é fazer o possível e aceitar o improvável.

Fazer exercícios sem almejar passarelas, trabalhar sem almejar o estrelato, amar sem almejar o eterno.

Olhe para o relógio: hora de acordar.

É importante pensar-se ao extremo, buscar lá dentro o que nos mobiliza, instiga e conduz mas sem exigir-se desumanamente.

A vida não é um jogo onde só quem testa seus limites é que leva o prêmio. Não sejamos vítimas ingênuas desta tal competitividade. Se a meta está alta demais, reduza-a. Se você não está de acordo com as regras, demita-se.

Invente seu próprio jogo. Faça o que for necessário para ser feliz. Mas não se esqueça que a felicidade é um sentimento simples, você pode encontrá-la e deixá-la ir embora por não perceber sua simplicidade. Ela transmite paz e não sentimentos fortes, que nos atormenta e provoca inquietude no nosso coração. Isso pode ser alegria, paixão, entusiasmo, mas não felicidade.