Siga por Email

Marcadores

Encontre no blog. É só digitar

segunda-feira, 25 de julho de 2011

PARA RIR: Criança diz cada coisa!




















Historinhas verdadeiras (será?):

Uma menina estava conversando com a sua professora. A professora disse que era fisicamente impossível que uma baleia engula um ser humano porque apesar de ser um mamífero muito grande, a sua garganta é muito pequena. A menina afirmou que Jonas foi engolido por uma baleia. Irritada, a professora repetiu que uma baleia não poderia engolir nenhum ser humano; era fisicamente impossível.
A menina, então disse:
- Quando eu morrer e for ao céu, vou perguntar a Jonas.
A professora lhe perguntou:
- E o que vai acontecer se Jonas tiver ido ao inferno?
A menina respondeu:
- Aí a senhora pergunta.

­­­­­­­­­­­­­­­__________________________________________
               
Uma professora de creche observava as crianças de sua turma desenhando. Ocasionalmente passeava pela sala para ver os trabalhos de cada criança. Quando chegou perto de uma menina que trabalhava Intensamente, perguntou o que desenhava. A menina respondeu:
- Estou desenhando Deus.
A professora parou e disse:
- Mas ninguém sabe como é Deus.
Sem piscar e sem levantar os olhos de seu desenho, a menina respondeu:
- Saberão dentro de um minuto.

 _________________________________

 Uma honesta menina de sete anos admitiu calmamente a seus pais que Luis Miguel havia lhe dado um beijo depois da aula.
- E como aconteceu isso? - perguntou a mãe assustada.
- Não foi fácil - admitiu a pequena senhorita - mas três meninas me ajudaram a segurá-lo.
 _______________________________


  Um dia, uma menina estava sentada observando sua mãe lavar os pratos a cozinha. De repente, percebeu que sua mãe tinha vários cabelos brancos que sobressaíam entre a sua cabeleira escura. Olhou para sua mãe e lhe perguntou:
- Porque você tem tantos cabelos brancos, mamãe? A mãe respondeu:
- Bom, cada vez que você faz algo de ruim e me faz chorar ou me faz triste, um de meus cabelos fica branco.
A menina digeriu esta revelação por alguns instantes e logo disse:
- Mãe, porque TODOS os cabelos de minha avó estão brancos?

                 _______________________________

Um menino de três anos foi com seu pai ver uma ninhada de gatinhos que haviam acabado de nascer. De volta a casa, contou, com excitação, para sua mãe que havia gatinhos e gatinhas.
- Como você soube disso? - perguntou a mãe.
- Papai os levantou e olhou por baixo - respondeu o menino - acho que ali estava a etiqueta.
                 ________________________________

Todas as crianças haviam saído na fotografia e a professora estava tentando persuadi-los a comprar uma cópia da foto do grupo.
- Imaginem que bonito será quando vocês forem grandes e todos disserem: 'ali está Catarina, é advogada', ou também 'este é o Miguel. Agora é médico'.
Ouviu-se uma vozinha vinda do fundo da sala:
- E ali está a professora. Já morreu. 



sábado, 23 de julho de 2011

EU LI: Uma coisa leva a outra


















A bondade do Eterno me persegue, me encontra e me lembra que estou perdoado. 

Perdoado, arrependo-me, expandindo minha consciência sobre mim mesmo e sobre aquEle que me encontrou.


Arrependido, confesso meus pecados. 

Confessando, livro-me do pecado e da culpa que gerava pesos desnecessários na alma.


Leve, me conscientizo da Graça que me encontrou. 

Consciente da Graça, me responsabilizo e me disponho a servir. 

Servindo ao próximo, respondo a este tão grande amor que me encontrou. 

Sim, “UMA COISA LEVA A OUTRA” todos os dias, o dia todo, até o fim.

Carlos Bregantim

ESCREVENDO: Morte aos 27



































          Como outros ícones do pop (Janis Joplin, Jimi Hendrix, Jim Morrison e Kurt Cobain), Amy Winehouse morreu aos 27 anos. Eles achavam que podiam fazer das drogas suas vidas e acabaram fazendo de suas vidas uma droga. Game Over (dose).
Paulo Natalino Dian

ESCREVENDO: Plano de Deus ou irresponsabilidade do homem?

 Dono de Porsche diz que acidente estava 'nos planos de Deus'


Com o choque da batida entre os veículos, o carro da vítima foi lançado contra um poste

O empresário Marcelo Malvio Alves de Lima, 36 anos, acusado de dirigir um Porsche a 150 km/h e matar a advogada Carolina Menezes Santos há duas semanas na zona sul de São Paulo, afirma que o acidente foi "uma fatalidade" e que não é bandido. Em entrevista à colunista Mônica Bergamo, do jornal Folha de S. Paulo, Lima disse que avalia se o acidente foi uma simples coincidência ou se as "coisas realmente têm que acontecer". "A mensagem que eu gostaria de passar é que tudo tem um porquê. A gente tem que aceitar. Aconteceu um acidente, ela faleceu, com certeza isso estava nos planos de Deus", disse à colunista.
"Eu trabalhei, eu ganhei dinheiro, eu compro o que eu quiser. Infelizmente aconteceu essa desgraça".



            Não tenho a menor intenção de tripudiar sobre a desgraça alheia. Até por que, ninguém está isento da possibilidade de envolver-se em um grave acidente automobilístico. Agora, dizer que a advogada faleceu porque, “com certeza isso estava nos planos de Deus" soa um tanto inadequado, para não dizer sarcástico. 

          Ora, partindo-se dessa premissa, então teríamos de admitir, também, que o Sr. Marcelo, que segundo a reportagem dirigia a 150 Km por hora, logo muito acima da velocidade permitida, o fazia porque esta era a vontade de Deus.

           Pior, todas as grandes tragédias causadas pelo homem ao longo da história deveriam ser atribuídas aos planos de Deus, sem qualquer responsabilidade do homem, esse coitadinho.

            Na verdade a argumentação é uma forma de fuga; de indisposição de assumir suas responsabilidades; de diante de Deus e dos homens dizer: Eu assumo. Eu errei.

         Assuma Sr. Marcelo: ao dirigir a 150 Km por hora, o senhor assumiu os riscos e, agora, assuma a culpa. Defenda-se na forma da lei, mas assuma. Afinal, se o senhor viesse a 80 Km por hora (provavelmente o limite de velocidade no local do acidente seja ainda menor), tudo indica que hoje a jovem advogada estaria viva.

            Mas ela morreu. Não pela vontade de Deus, mas porque teve o seu veículo jogado violentamente contrato um poste pelo senhor, que dirigia a 150 Km por hora.
Paulo Natalino Dian
           

sexta-feira, 22 de julho de 2011

ESCREVENDO: A igreja e a propaganda enganosa



Se as igrejas evangélicas, muitas delas, talvez a maioria, fossem regidas pelo Código de Defesa do Consumidor, teriam de ser multadas e, até, fechadas, por propaganda enganosa. 

Senão vejamos: Caminhava eu pela praça de meu bairro quando ouvi, em alto e bom som: “Se você está necessitando de um milagre, venha recebê-lo”.

Tratava-se do chamamento de uma Igreja Assembléia de Deus para um “grande” evento que realizaria. 

Assim, no afã de reunir “multidões” usou, como tantas outras, de um chavão muito atraente, mas que, na prática, se revela mentiroso, perverso e dolosamente manipulado, haja vista que a igreja, nenhuma igreja, e seus líderes, quaisquer líderes, não têm em estoque milagres para assegurar que “se você está precisando, venha recebê-lo”.

 Ora, todos nós sabemos que são incontáveis as pessoas que necessitam de um milagre. Tem aquela mãe que perdeu o filho e daria tudo para tê-lo de volta... tem aquele paralítico que, desde tenra idade, tem os membros inferiores atrofiados... tem aquele senhor que, por acidente contraiu o vírus da AIDS e está em estado terminal etc. 

A lista é enorme. 

Todas essas pessoas estão desesperadamente necessitando de um milagre. A pergunta é: se atenderem o convite e forem até a igreja, esta ressuscitará o morto? Restaurará a perna do paralítico? Eliminará o HIV do paciente terminal?

Tem a igreja, em estoque esses milagres para garantir que os que vierem os receberão?
A resposta é não.

Ela está prometendo o que não tem para oferecer e, se fosse regida pelo CDC, seria enquadrada por propaganda enganosa.

Aliás, é uma pena que não haja uma legislação específica para coibir os abusos dos milhares de grupos religiosos que manipulam as pessoas objetivando os seus fins, nem sempre nobres.

Se eu acredito em milagres? Claro! Eu já os experimentei em minha vida. Operados por Deus, por meio do meu Senhor Jesus Cristo. E, ainda que não os tivesse experimentado, continuaria acreditando, porque não há nada impossível para Deus.

Mas não é disso que estamos falando.  O que estamos falando é que a igreja não pode prometer aquilo que não está à disposição dela.

Ela pode, por exemplo, prometer aos que vierem que, se estiverem precisando de alimentos, lhes oferecerá uma cesta básica. Se a necessidade for remédio, ela custeará as despesas. Se for frio, ela lhes doará, com prazer, agasalhos. Isso ela pode prometer. Isso está ao alcance dela.

Interessante que isso, tão simples, tão necessário, tão bem-vindo, ela, a igreja, não promete. Ou seja, aquilo que tem, ou poderia ter na dispensa, não oferece. Aquilo que não tem, engana que tem, promete que vai dar, não dá e, em regra, transfere a culpa.

A você que me lê e que porventura esteja precisando de um milagre, minha palavra é: clame a Deus, sem intermediários, sem sacerdotes, sem a falsa idéia de que a oração, ou a súplica, ou a reza de quem quer que seja será mais poderosa que a sua.

Não perca a esperança. Deus pode até não fazer a sua vontade, mas, com certeza, ele não recusa um coração contrito.

Mas se as coisas não saírem exatamente como você gostaria, lembre-se: nós estamos no mundo. O mundo é assim mesmo: tem suas igualdades e suas desigualdades. Tem gente nascendo e gente morrendo. Tem gente sendo curada todos os dias e todos os dias tem gente adoecendo.

A existência, porém, não se limita aos poucos anos que passamos por aqui. Daqui a pouco tudo será passado. Mas a vida continua e, por causa do muito amor com que Deus nos amou, ela será, para os que quiserem, maravilhosa.

Então, se uma igreja lhe convidar para se reunir com ela em agradáveis momentos de comunhão e culto... de interação e intercessão... de estreitamento de vínculos de amizade e de solidariedade, vá! É com gente assim que me reúno.

Mas se o convite for para você ir para receber o que a igreja não tem para dar, não vá. É propaganda enganosa. E quem faz propaganda enganosa pode fazer muitas outras coisas prejudiciais a você.
Paulo Natalino Dian

quarta-feira, 20 de julho de 2011

EU LI: Amizade


Em homenagem a todos os meus amigos, segue uma bonita mensagem que recebi e que compartilho. 








Amizade é outra coisa!


Amizade não é algo que o faz sair do chão e o transporta para lugares que você nunca viu. O nome disso é avião. Amizade é outra coisa.

Amizade não é uma coisa que você esconde dentro de si e não mostra para ninguém. Isso se chama vibrador. Amizade é outra coisa.

Amizade não é uma coisa que te faz perder a respiração e a fala. O nome disso é bronquite asmática. Amizade é outra coisa.

Amizade não é uma coisa que chega de repente e o transforma em refém. Isso se chama sequestrador. Amizade é outra coisa.

Amizade não é uma coisa que voa alto no céu e deixa sua marca por onde passa. Isso se chama pombo com diarréia. Amizade é outra coisa.

Amizade não é uma coisa que você pode prender ou botar pra fora de casa quando bem entender. Isso se chama cachorro. Amizade é outra coisa.

Amizade não é uma coisa que lança uma luz sobre ti, te leva pra ver as estrelas e te traz de volta com algo dele dentro de ti. Isso se chama alienígena. Amizade é outra coisa.

Amizade não é uma coisa que desapareceu e que, se encontrado, poderia mudar o que está diante de você. Isso se chama controle remoto de TV. Amizade é outra coisa.

Amizade?

Amizade é outra coisa!

É amor, É respeito,É  parceria, E é muito, muito, simples...!
(Fonte: Internet, via minha amiga Dra. Sonia)