Siga por Email

Marcadores

Encontre no blog. É só digitar

sábado, 31 de dezembro de 2011

NO CAMINHO: Oração de início de ano



















ORAÇÃO DE INÍCIO DE ANO

Pai, meu amado paizinho eterno,

Mais um ano acaba sobre minha existência no chão desta terra. E aqui estou para agradecer-Te e para pedir graça, misericórdia e proteção no resto da jornada.

Pai, os dias são maus, e eu não sou bom. Por isto, ó Pai, fortalece meu coração no Teu amor, para que a frieza dos tempos não gele o meu ser, e nem tire de mim o bom ânimo para fazer o que é bom.

Senhor da Terra e dos Céus, nós, humanos, feitos pelo Teu amor, nos afastamos de Ti, a fonte de Águas Vivas, e para nós mesmos cavamos cisternas rotas, das quais bebemos sem saber que nela há a água envenenada pela religião dos homens e por suas morais farisaicas e sem amor.

Cordeiro eterno, a Terra geme, e os dias de Tua ira se avizinham. Tem misericórdia da humanidade, e, por Tua graça eterna, dá-nos a chance de mais uma vez bradar a toda Terra o Evangelho Eterno, para que o mundo possa, quem sabe, pela primeira vez nesta geração, receber o testemunho do Evangelho de Jesus, e não o da Cristandade.

Ó Deus da Vida! Nós estamos acabando com tudo o que criaste. Perdoa-nos e abre nossos olhos, para que o mal que nós mesmos fabricamos não nos apanhe como um laço. Por Tua misericórdia, paizinho, dá mais tempo ao mundo para que se arrependa da destruição de Tuas criaturas.

Pai meu e Deus de minha vida, peço-Te pelos meus amados, pelos que gerei e pelos que me afeiçoei pela gestação de amor no útero de minha alma. Guarda-os sob Tuas asas e dá a todos eles o entendimento de Tua Graça.

Senhor, a Terra foi desviada de seu eixo, os pólos ficaram mais redondos, as geleiras estão se desfazendo, um grande iceberg maior que o estado de Santa Catarina viaja pelos mares ameaçando mexer com todo o sistema de nosso clima. Pai, eu sei que foram as nossas maquinas movidas a petróleo que fizeram isto; e sei que é o nosso modo de vida o que está nos matando; pois, como ensinaste, nossa vida é morte. Senhor, adia os dias da calamidade.

Peço pelos meus filhos e netos, rogo pelas futuras gerações, os filhos do apocalipse. Sim, peço-Te que ponhas sobre eles a marca do Cordeiro, para que não sejam confundidos nos tempos futuros, quando a marca que os homens carregarão será a do domínio “daquele” que não se põe sobre o Teu senhorio.

Pai, ergue da passividade milhares de Teus filhos, os quais, pelo cansaço, desistiram do bem, ou não creem mais que ele possa ter seu lugar neste mundo de perversidades e egoísmo. Sim, ordena; e Teus filhos se porão de pé; à semelhança dos ossos que se tornaram um grande exército, conforme Teu profeta Ezequiel.

Oro por aqueles que ensinam aqueles que desejam crer em Ti. Ó Pai, abre-lhes os olhos, para que não mais falsifiquem a Tua Palavra em razão de ganhos e poderes. 

Salva-os das ambições e das ganâncias da morte e do inferno. Não deixa que com a boca cheia de Teu nome, enganada ou deliberadamente, usem Teu nome como capital de manipulação e controle de almas. Dá a cada um deles ainda a chance de se converterem à sinceridade do Evangelho eterno e simples de Jesus.

Faz cair sobre a Terra um sonho. Abre as comportas do Inconsciente Coletivo e faz toda gente sonhar, conforme a promessa feita mediante Joel. Sim, derrama Teu Espírito sobre toda carne, nesses dias de fogo, sangue, enxofre, fumaça e caos. Sim, antes que o sol escureça e as noites se pintem de sangue decorando até a lua com o encarnado das desgraças, mostra-nos o Teu favor.

Sim, Pai! Ouso pedir que dês um sonho a toda humanidade. Que teus anjos visitem os humanos, todos nós, com sonhos, conforme fizeste com os Josés, o do Egito e o pai de Jesus. Sim, um sonho, como aquele que parou a maldade de Nabucodonosor.

Pai, sem que Teu Espírito se derrame e dê a todos os homens espírito de arrependimento, nossos dias estão contados. Por Tua Graça, alonga esses dias de esperança, para que muitos creiam, e para que nossos filhos ainda tenham ar no ar, para respirar; água nos rios para beber; frutas não contaminadas nos campos para comer; e esperança no peito para viver.

Peço que Tu abençoes a todo aquele que pensar mais na vida do que nos seus próprios planos. Dá que se cumpra a Palavra de Tua promessa, de que enquanto cuidarmos do próximo, Tu cuidarás de nós.

Derruba de seus tronos os tiranos e dá-nos ainda um tempo de refrigério!

E que o espírito de engano e mentira que está na boca dos falsos profetas e falsos apóstolos, seja envergonhado, e que suas falsas promessas não se tornem à droga que tira a sensibilidade de Teu povo para o Evangelho, conforme hoje se vê.

Levanta meninos e crianças; e planta em suas boquinhas as Tuas simples e eternas palavras!

Que os tímidos tomem coragem. Que os cansados se animem e se ergam. Que os que ainda amam, não se cansem de amar. E que os que aguardam o bem não sejam comidos pelo cinismo.

Que se faça ouvir por toda a Terra o grito profético de Teus mensageiros!

Abre novas portas à Tua palavra, e, com Teu poder, concede-nos a unção que acompanhará o testemunho do Evangelho com sinais, prodígios e maravilhas da verdade, e não do engano, conforme hoje se vê.

Peço que tenhas misericórdia de minha vida e que me livres do mal, pois, são muitos os males que tentam me acometer, assim como são muitos os que hoje desejam minha morte, minha desgraça e meu silêncio. Não deixa que se satisfaçam vendo-me abatido por qualquer coisa. Tu és minha força e meu amor. Cuida de minha alma, pois em Ti eu confio.

Nele, em Quem todas as orações são respondidas,

Caio, Teu filho, e também em favor de muitos irmãos.
(Fonte: www.caiofabio.net)

NO CAMINHO: FELIZ? NESTE MUNDO?





















FELIZ? NESTE MUNDO?


Ler Mateus 5


É inegável que o desejo mais profundo de todo ser humano é ser feliz.

O problema é que o interior do homem é completamente confuso, e o 

ambiente que ele mesmo constrói a fim de ser a sua moradia relacional é 
um mero reprodutor daquilo que o coração carrega.

Assim, o mundo é a nossa cara, e se faz perceber não como o lugar 

onde furacões acontecem, enchentes caotízam regiões, e terremotos 
sacodem o chão, mas sim como o lugar onde existe o homem, um ser 
que reproduz na Terra os desertos, os rios envenenados, o ar poluído, 
as carências de vida, os desequilíbrios, os lixões, os paredões de 
execução,os presídios, as chacinas, o câncer que come o corpo inteiro 
como corrupção social que existe em seu interior. E mais: esse ser faz 
isto mediante muitas caras e faces, pois aparecem como verdades religiosas, 
padrões morais, convenções, muros do qual o da China é mera maquete, 
e mísseis tão velozes para matar quanto a sua própria língua.

Assim, o homem que ser feliz, porém, ele mesmo, cria o mundo que

impossibilita a sua própria felicidade.

Foi por isto que Jesus ensinou que neste mundo caído a bem-aventurança 

está em não contribuir com a infelicidade do mundo, e resistir no 
contentamento e na exultação, sem jamais chorar lágrimas que já não 
tragam em si mesmas o consolo, nem ter nenhuma causa que não sejam 
pacificação e justiça, e não carregar em si nada além de um coração 
ensinável e uma consciência firme no que é o Bem de toda Aventurança nesta 
vida.

Somente assim alguém pode ser feliz nesta terra de desencontros, 

e onde a busca da felicidade acontece como um desejo que é assassinado 
pelo próprio homem, tanto em razão dele ser como é, como também em 
razão do ambiente que ele cria a fim de procurar encontrar a tal felicidade.

Ora, o problema não é Terra. A Terra é boa. Com boa consciência e 

entendimento em respeito e reverencia—não precisa nem falar em amor
—, todos os humanos poderiam ser muito felizes neste planeta, apesar de 
todos os seus acidentes e incidentes.

O que nos impede de sermos felizes é nosso coração incapaz de se abrir 

para o entendimento de que a vida será tanto mais fácil e boa quanto menos 
peso nós pusermos uns sobre os outros.

Quando deixarmos de policiar a felicidade nossa e alheia, então, lentamente, 

a bem-aventurança começará a brotar bem de leve e bem úmida na terra do 
nosso coração.

E quem sabe, daí, do coração, ela se espalhe para fora...e entre em outros?


Caio Fábio

sexta-feira, 30 de dezembro de 2011

AINDA QUE LENDO, OUÇA! Obrigado Senhor.
















Chegou ao fim mais um ano. Muitos foram os que ficaram pelo caminho. Mas nós, até aqui, e graças a Deus, chegamos. Cada um de nós, então, deve elevar os seus pensamentos aos céus e dizer: Obrigado Senhor.

Obrigado pela direção no caminho e pelo perdão quando preferi seguir sozinho.

Obrigado pela orientação presente e pelo perdão quando dei de ombros e segui em frente.

Obrigado por pertencer à tua família e pelo perdão quando não me comportei como filho ou filha.

Obrigado Senhor, pelo teu amor constante e tua paz diferente. Obrigado pela voz vibrante e pela fé presente.

Obrigado Senhor porque aqui estou. Isto significa que mais um ano se foi e, como prometeste, nada me separou do teu amor.

Obrigado Senhor pela salvação, tão grande bem! E obrigado pelo ano que à frente a gente tem. Obrigado pelo ano que vem.

Que nele Senhor, todos nós trabalhemos sob os teus cuidados.

Que os alegres consolem os tristes.

Que os fortes amparem os fracos.

Que os entusiasmados contagiem os sem ânimo.

Que os saudáveis sejam solidários com os doentes.

Que os que se mantiverem em pé sigam levantando os que forem caindo à beira do caminho.

E que o teu amor, Senhor, seja experimentado por cada um de nós e, a partir de nós, compartilhado.

Dá-nos Pai o teu amparo. Faze-nos fortes. Faze-nos manter os olhares fixos em JESUS. 

Porque, se assim for, teremos um bom ano. E por essa possibilidade ser real, obrigado Senhor.

terça-feira, 27 de dezembro de 2011

EU LI: A Correr o risco

















Correr o risco!

Rir é correr o risco de parecer tolo.
Chorar é correr risco de parecer sentimental.
Estender a mão é correr o risco de se envolver.
Expor seus sentimentos é correr o risco de mostrar seu verdadeiro eu.
Defender seus sonhos e idéias diante dos outros é correr o risco de perder as pessoas.
Amar é correr o risco de não ser correspondido.
Viver é correr o risco de morrer.
Confiar é correr o risco de se decepcionar.
Tentar é correr o risco de fracassar.
Mas os riscos devem ser corridos. Porque o maior perigo é não arriscar nada.
Há pessoas que não correm nenhum risco. Não fazem nada, não obtém nada e não são nada.
Elas podem até evitar sofrimento e desilusões. Mas não conseguem nada, não sentem nada, não mudam, não crescem, não amam, não vivem.
Acorrentadas por suas atitudes, viram escravas de si mesmas.
Para não correr risco, privam-se de sua liberdade.
Somente quem se atreve a correr o risco é realmente livre.

(Texto de Sêneca – Escritor, Filósofo e Pensador Estóico Romano/ Século I d.C, através de minha amiga Cidarta Suzy).

segunda-feira, 26 de dezembro de 2011

EU Li: O Natal de Deus é infinitamente mais real que eu




O NATAL DE DEUS MAIS REAL QUE EU.

"Depois disso, meu natal já era!"

Só afirma uma coisa dessas quem jamais soube o que foi de fato a experiência "natalina" de José, Maria e o recém-nascido.

Nossos natais são muito idealizados. Muito projetados. Muito utópicos e muito montados. Presépio e presepada.

O Natal de Deus aconteceu na realidade mais concreta e visceral.

Sim, o Natal do Deus que muita gente duvida que seja real, foi mais real do que eu! Realidade chocante!

"A vida como ela é!" - diria Nelson Rodrigues. Foi o Natal de Deus.

Menina-moça que aparece afirmando que o Espírito Santo colocou a sementinha dentro dela... Não é uma posição tão confortável e meiga, não é mesmo?

Homem-moço que não sabe se dá um tapa na noiva-esposa cínica, ou se a interna urgentemente no sanatório mais próximo. A terceira opção seria assumir a "cornice". Mas o homem, por um sonho que teve, escolheu de bom grado ser "corneado" por Deus.

Confortável essa posição de José, não é?

Tiveram que andar milhas e milhas a fim de obedecer um decreto tirano que os obrigava a ir à cidade natal para um recenseamento. E Maria grávida de vários meses.

Que adorável deve ter sido essa caminhada ou trajeto no lombo de jegue, não é?

Chegando na cidade de José - Belém da judéia, Cidade de Davi - tinham agora que enfrentar burocracia, fila e muita espera! Era muita gente pra ser atendida! Stress e incômodo puro!

Natal com stress? E combina isso? - pergunta o meu distraído leitor.



Mas eu não já disse que o Natal de Deus é mais real que eu?

Pois bem... Burocracia, fila, espera... E Maria já não podendo mais esperar. Bolsa rompendo. Daria a luz ali, nesse caldeirão de ansiedade, estranheza e mal-estar.

Só um probleminha a mais: a cidade estava abarrotada de gente. Cidadãos que vieram de todas as partes do país. Não havia vaga em nenhuma hospedaria.

"E Deus não abrirá uma porta onde não há porta?" - pergunta o que tem féde mais.

Nenhuma porta aberta. Todas fechadas.

Até então eles tinham dado o jeito. Um homem e uma mulher grávida podem aguentar muito desconforto. Sereno, vento, chuva, frio... Mas agora com um neném? Merece um quarto quentinho, acolhedor, limpo.. Um ninho.

Não havia quarto. Mas havia a estrebaria.

Que natal reluzente hein? É o natal dos sonhos de qualquer um, não é! Ora eu pensei que era. Não é por isso que reproduzimos esta cena horrível com nossos presépios tão lindinhos?

Acabou o natal deles? Que nada. Só estava começando.

De repente amigos pastores do campo, desconhecidos, chegam. A melhor Graça de Deus é sempre um algo inesperado. Graça que se roteiriza e se cronometra não tem tanta graça assim. E quando menos esperavam, solitários no lugar de alimentação de animais... surpresa! 

Aparecem também uns estranhos orientais. Viram uma estrela no céu que os guiara até ali. 

E vai havendo companhia, felicitações, louvor, amizade e vínculo da perfeição. O pós-parto vai ficando iluminado de humanidade simples, solidária, fraterna e real.

O Natal de Deus continha distância de casa e da família...
O Natal de Deus incluía a humilhação da submissão a ordem de um governador tirano e opressor...
O Natal de Deus tinha pouca luz, comida, conforto e amigos...
O Natal de Deus tinha rejeição e falta de piedade dos gerentes e donos das hospedarias...
O Natal de Deus não tinha privilégio especial àquele que Ele havia declarado como Filho Seu... 
O Natal de Deus, para Maria e José, tinha o céu meio silencioso e aparentemente vazio... Sem portas abertas. Só portão de curral.
O Natal de Deus tinha tudo o que muita gente, experimentando, diria: "Não há chance de haver natal esse ano! Acabou o meu natal!"

Mas no Natal de Deus havia presença de Deus Conosco, presente, no meio do turbilhão com a gente.
No Natal de Deus havia estrela no céu, significado.
No Natal de Deus havia coral de anjos que antecipavam a grande herança e felicidade dos homens que tivessem boa vontade para viver e crêr. Boa vontade própria? Não. Consciência da boa vontade de Deus e seu bem-querer por eles!
No Natal de Deus havia provisão de amigos. Não os amigos do script pré-fabricado. Não. Os amigos do caminho, da rua, da imprevisibilidade... Desconhecidos irmanados pelo poder do louvor, da fé e da gratidão.
No Natal de Deus bois e vaquinhas ocupavam os lugares que Reis e Rainhas desejariam ocupar, como testemunhas daquele evento histórico sem precedentes.

No Natal de Deus não havia presépio ou presepada. Havia realidade. Havia a Vida de um Deus que não é utópico, alienado, alienante, fanatasioso, isolado, insensível, impermeável ou auto-protegido.

Não. Irreais somos nós e nossas projeções de vida e mundo. Inclusive nossas projeções a respeito do Deus que duvidamos que seja real...

Deus no entanto, é real. E o Natal de Deus é infinitamente mais real que eu.

Se Deus não é real, o menino dormindo debaixo do viaduto também não é. E é ali que ele escolheu estar e ser servido, adorado, descoberto, amado, manifesto, significado, presente. Pra justiça, alegria e esperança de todo o que crê.

E você? Pensando aí que o Natal acabou? Pereceu? Babou? Bichou?

Caia na Real! O Natal nem começou! Começará agora!

Bem mais real do que voce podia imaginar. Aliás... não imagine.

Viva a realidade do Natal de Deus em você!

Esteja você no lugar de qualquer personagem dessas, vá viver o natal! Seja você José, Maria...

Seja você o pastor do campo enviado a algum lugar a fim de fazer companhia...
Seja você um sábio oriental, que chegará com louvor, presente, afirmação, testemunho e solidariedade.
Seja você a mosca do cocô da mimosa, vaquinha do estábulo... não importa!

O Natal sempre é feliz, quando se sabe e se crê que ele adentrou a nossa Realidade mais desnudada. Veio pra estar, ficar, permanecer. Emanuel: Deus Conosco!

Deus que é Deus de todo aquele que, sentindo nos pés a textura e espessura de cada uma das afiadas pedras do caminho da realidade, vai aprendendo a lê-las com o "código braille" da fé. E o que se lê o tempo todo é: "Eu estou com você. Não temas porque eu sou contigo. Eu te amo. O Senhor proverá. Confia! A gente vai junto. Haverá um bom futuro e não será frustrada a tua esperança".

Feliz Natal! Real!

Marcello Cunha

domingo, 18 de dezembro de 2011

EU LI: Eu creio
















Eu creio em mim mesmo. Creio nos que trabalham comigo, creio nos meus amigos e creio na minha família. Creio que Deus me emprestará tudo que necessito para triunfar, contanto que eu me esforce para alcançar com meios lícitos e honestos. Creio nas orações e nunca fecharei meus olhos para dormir, sem pedir antes a devida orientação a fim de ser paciente com os outros e tolerante com os que não acreditam no que eu acredito. Creio que o triunfo é resultado de esforço inteligente, que não depende da sorte, da magia, de amigos, companheiros duvidosos ou de meu chefe. Creio que tirarei da vida exatamente o que nela colocar. Serei cauteloso quando tratar os outros, como quero que eles sejam comigo. Não caluniarei aqueles que não gosto. Não diminuirei meu trabalho por ver que os outros o fazem. Prestarei o melhor serviço de que sou capaz, porque jurei a mim mesmo triunfar na vida, e sei que o triunfo é sempre resultado do esforço consciente e eficaz. Finalmente, perdoarei os que me ofendem, porque compreendo que às vezes ofendo os outros e necessito de perdão.
(Mahatma Gandhi)

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

EU LI: A Dilma, o câncer e a cura















Dilma diz que ela e Lula são exemplos de que câncer é derrotável
Ao comentar os resultados do tratamento do ex-presidente Luiz Inácio Lula da Silva contra um câncer de laringe, a presidente Dilma Rousseff afirmou nesta terça-feira, em Porto Alegre (RS), que tanto ela como Lula são exemplos de que é possível derrotar a doença.
"Acho que isso é uma mensagem para todas as pessoas que hoje passam por essa doença: que ela é derrotável (...) cada vez mais você pode superá-la. Eu sou um caso, o presidente Lula é outro, e têm tantas outras pessoas", disse a presidente na capital gaúcha, um dia depois da equipe médica que trata do ex-presidente anunciar uma redução de 75% em seu câncer. (Fonte: Terra)

Meu comentário: Ficamos felizes pela melhora do Lula; e ficamos felizes, também, pela cura da Presidente Dilma. Agora, vamos ficar felizes mesmo, quando ela, como presidente, criar as condições para que todo brasileiro, quando precisar, tenha acesso aos mesmos tratamentos que eles tiveram.

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

AINDA QUE LENDO, OUÇA! Amor, amor, amor



















Hoje em dia, declarar amor a Jesus virou moda. Nunca é demais lembrar, porém, que não existe amor a Deus sem amor ao outro, ao semelhante. E, segundo aprendemos de Jesus, o amor que conta não é aquele que se declara, mas aquele que se demonstra.
Paulo Natalino Dian 

EU LI: Americano encontra o maior inseto do mundo

















O ex-guarda florestal Mark Moffett, do Colorado, nos Estados Unidos, encontrou o maior inseto do mundo, em termos de peso. Ele passou dois dias rastreando o animal em uma ilha remota na Nova Zelândia. Com 71 gramas, o weta gigante (também chamado de grilo gigante) pesa mais que um pardal.
Mark descobriu o inseto, uma fêmea, em uma árvore. Ele e alguns amigos passaram duas noites na ilha, procurando um weta gigante na vegetação. A fêmea que eles registraram é o maior inseto já encontrado no mundo. Antes de devolver o weta para a árvore, Mark deu uma cenoura para ele comer. “Ela gostou tanto da cenoura, que parecia ignorar o fato de estar descansando nas nossas mãos”, disse ele.
O weta é um inseto típico da Nova Zelândia e existem 70 outros tipos no país. O weta gigante é o maior inseto do mundo, e o que Mark encontrou é o maior já visto. Leia mais: http://extra.globo.com/noticias/saude-e-ciencia/americano-encontra-maior-inseto-do-mundo-3360392.html#ixzz1fJ2b0eCs

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

NO CAMINHO: O Diabo existe... Você duvida?

















Jesus nunca discutiu o diabo, sua existência, sua origem, seu surto narcisista, sua “queda”; e nem tampouco desvendou segredos do diabo, do mal, ou do modo como os homens e os demônios entram em conluios; não fez diferenciações entre tipos e modos de possessão; não julgou útil dedicar-se a nada disso... 


Entretanto, para Ele, o diabo era real, não simbólico, não difuso, não apenas energia, não somente pulsão humana perversa...


O diabo existia... O diabo tentava... O diabo oprimia, possuía, fazia adoecer, matava, roubava, destruía...


Sim, Jesus não disse nada sobre as cogitações impensáveis que teria feito um ser criado em Luz tornar-se um ser rastejante, odiento, malévolo, obstinado, obcecado com a existência humana, tarado pela promoção da desgraça na Terra...


O que Ele disse de tal criatura tinha a ver com sua natureza homicida, mentirosa, enganadora, opositora, divisora, e cheia de poder no mundo dos homens, ao ponto de dizer que o mundo dos homens é dele; do diabo.


“Este poder me foi entregue; e o dou a quem eu quiser...” — disse o diabo a Jesus; e Jesus não disse que ele estava mentido, pois, o próprio Jesus viria a dizer: “Eis aí vem o [diabo] Príncipe deste mundo; e ele nada tem em mim”.


Jesus disse ainda que o Inferno era uma categoria posterior na criação, criada para o diabo e seus anjos... Portanto, com isto, Jesus dizia que para um humano ir para o inferno ele tem que virar decidida e voluntariamente um diabo.


Para Jesus o diabo poderia possuir tanto indivíduos como gerações inteiras... Poderia ainda se especializar em demonizar geografias políticas e culturais, como a Legião de demônios que possuíam o “gadareno”, e que pediam a Ele que não os mandasse para fora do país, da região...


É digno de nota que Jesus tenha expulsado demônios de muitos indivíduos na Galileia e alguns outros lugares, mas que tenha sido apenas no ambiente do Templo e da religião que Jesus tenha se referido a certas pessoas como “filhas do diabo”, sendo que elas eram as mais religiosas e orgulhosas de seu pedigree espiritual: descendentes de Abraão.


O fato é que até algumas possessões que pareciam ter elementos de disfunção neurológica ou mental, ainda assim Jesus não curou a mente de tais pessoas sem também mandar que o espírito imundo as deixasse.


Ora, isso me faz pensar que em quase todas as condições mentais que tiveram suas disfunções oriundas de traumas ou de episódios bem posteriores na vida [ou seja: não sendo mal congênito] — de um modo ou de outro os espíritos se aproveitam de tais baixas imunidades mentais a fim de agregar a sua agonia ao problema existente em razão da alma ter ficado magoada, abusada, humilhada ou raivosa...


Então alguém pergunta:


“Mas na Cruz Jesus não venceu os Principados e as Potestades expondo-os ao desprezo, conforme nos garante Paulo?”


Ora, a vitória de Jesus sobre o diabo é apenas para quem crê!


Quem não crê experimenta apenas o “limite” que ainda está imposto sobre o diabo, mas dentro de tal “limite” existe no diabo ainda poder suficiente para ser o príncipe deste mundo, e prova disso é o mundo em si, com todas as suas manifestações de insanidade infernal.


O diabo não pode me tocar, nada tem em mim, não por causa de mim, mas em razão do que Jesus fez por mim; e eu cri.


Sim, é apenas por isto que o maligno não me toca!


E mais: é também por isto que posso expulsa-lo em qualquer lugar; sim, o diabo e qualquer diabo ou demônio; pois Jesus, Jesus mesmo, não um arremedo de Jesus, não uma verdade de Jesus, não!..., mas Jesus mesmo, Ele, o Senhor, o Vitorioso, o Mais Valente; sim, Nele eu venço o diabo porque Jesus vive em mim; e Ele é a minha vitória!


Entretanto, isto é assim porque eu creio de todo o coração; e porque pela fé sei, vejo, sinto, e confio; e, além disso, porque vi muitas vezes e vejo tantas vezes quantas aconteçam, que Jesus é a minha vitória. Portanto, sem fanfarrice, mas apenas com confiança na fidelidade de Deus, não temo diabo algum e nem criatura espiritual alguma.


Entretanto, sei que para quem não crê assim todas as portas estão abertas, pois, o bicho perverso tem poder sobre este mundo!


Não estou nem um pouco preocupado com os intelectuais que me lerão e rirão...; nem com os teólogos do diabo simbólico que me julgarão “místico”...; nem com os filósofos que me ridicularizarão por não aceitarem a existência do diabo em razão de não gostarem da idéia maniqueísta de luta entre o bem e o mal...; nem ainda com os psiquiatras, psicólogos, neurocientistas, ou qualquer outro suposto mestre da mente ou do diabo... — que me julgarão simplista e obscurantista...


Não! Não é hora de pudores...


O diabo existe. E, no que me diz respeito, ele terá o mesmo tratamento que vi Jesus dar a ele...


De súbito outra vez meus olhos se abriram e estou vendo uma invasão de diabos no mundo...


As casas estão cheias de demônios...


Os casamentos estão sendo pastoreados pelos desejos de diabos nem sentidos, disfarçados de necessidades psicológicas e afetivas...


As emoções humanas então!... Meu Deus! Estão ficando possessas do mal...


Afinal, se o diabo além de mentiroso é homicida e vem para matar, roubar e destruir, conforme Jesus garantiu, por que se julgará que havendo oportunidade de enganar ele não o fará? De poder matar... e ele poupar a vida? De roubar e ele deixar isento e intacto? De conseguir destruir e ele preferir preservar?


Quem converteu o diabo?...


Ora, primeiro foi a religião cristã chamada “liberal”...; mas já o fez por cultuar a filosofia e a psicologia... ou a psiquiatria antiga...


Depois os que converteram o diabo foram esses que fizeram demônios se tornarem coadjuvantes de “exorcistas” em expulsões de bobagem... Sim, foi esse pessoal que ganha dinheiro com possessões fajutas [e que o diabo faz acontecer ou emula pela sugestão... apenas para que o “exorcista mercenário” não creia mais em diabo algum] — os que criaram essa atual descrença no diabo real entre as pessoas de bom senso; pois, “esse diabo de crente” é um chaveirinho de diabo, coisa mesmo de amuleto de culto cristão fetichista.


Eu, no entanto, não tenho nada a ver com isto!


Portanto, no que me diz respeito, deixo todos os pudores aqui, e, sem temor algum assumo que sou discípulo de Jesus também no modo como devo tratar o diabo em qualquer situação da vida.


Assim, sem discurso, mas com decisão, assumo para mim a Palavra de Jesus hoje, e que diz: “Eis que vos dei autoridade sobre serpentes e escorpiões, e sobre todo poder do maligno, e nada absolutamente vos causará dano”.


Continuo vendo todos os elementos psicológicos, psiquiátricos e neurológicos de muitos distúrbios humanos, mas, ao mesmo tempo, minhas suspeições acerca do oportunismo maligno em relação a tais coisas é grande; e mais: não apenas em relação a isto, mas a todas as formas de expressão de raiva, ódio, curiosidade mórbida, e ganância por poder, qualquer forma de poder ou de avidez por fama e importância, especialmente espiritual, me cheirará sempre a inhaca de diabo...






Nele, que tratou as coisas como as tratou e que não me deu outra receita,






Caio Fabio


4 de setembro de 2009